já tive natais com poucas pessoas. já tive natais com muitas pessoas. a todos me habituei e adaptei, porque se há coisa que me caracteriza é a minha capacidade de adaptação e não querendo com isso dizer que é uma grande virtude.
esta ano, ao contrário de alguns anteriores e mesmo do anterior, estive muito tranquila em relação ao natal. iria passá-lo em minha casa, com os meus pais. seríamos três. novamente. e foi muitíssimo bom.
finalmente, ao fim de ano e meio, sinto-me tranquila. em paz. consolidada. com tanta coisa nova que tenho descoberto, em mim, tanto que há para fazer, para viver comigo. sinto que estou um pouco longe de toda a gente. não porque já não goste das pessoas, mas porque neste momento gosto muito mais de mim, preciso muito mais de estar comigo a fazer coisas comigo. não por receita, mas por prazer.
voltarei. não sei se voltarei igual. acho que não. talvez, depois, já não me achem graça nenhuma. talvez já não consigam gostar de mim como gostavam. é o risco que se corre, quando nos propomos a mudar.

[o Zeca e a São. 78 e 80. livres. independentes. autónomos. determinados. bem dispostos. com projectos e objectivos.]

Anúncios