hoje tive a visita inesperada dos meus pais. à conta de uma amiga que morreu, lá vieram eles por aí abaixo. depois da terapia, passei pelos pasteis de Belém, comprei seis e fui ter com eles a casa. soube-me bem esta semi-surpresa. estou com imensas coisas a fervilhar na cabeça e um motivo para desfocar é sempre bem vindo!
depois de saber onde fica a igreja do Feijó lá fomos nós. beijinhos e abraços à família e sentámo-nos a fazer um bocadinho de sala. e qual o assunto da nossa conversa? o que queremos que nos seja feito quando chegar a nossa vez. nada melhor do que falar destas coisas numa altura em que estamos descontraídos e com algum humor. eu quero ser cremada. a minha mãe também, mas ainda está na dúvida se não quer que seja no cemitério do Alto de São João (nem sei se isso será possível). o meu pai, parecendo o mais conservador, é arrojado: quer ser enterrado, mas não quer pedra mármore, pois diz que não quer nada que lhe pese em cima do peito! e teve que me chamar à atenção, porque eu já estava a rir às gargalhadas.
estou mesmo satisfeita por este assunto ter ficado definido.

Anúncios