quando era mais nova, era bem mais destemida. respondia sempre com o que me estava na ponta da língua, sem fazer censura a nada.
depois, houve um tempo em que achei que deveria ser mais contida e mais assertiva. e comecei a ouvir mais e a dizer um pouco menos.
acho que as pessoas têm o direito de perceber, por si, que já me invadiram a fronteira da razoabilidade e, portanto, deverão ter alguma atenção ao que dizem e fazem, de forma a não me magoar . sou estúpida e acho que devo isso aos outros – o tempo para perceberem.
infelizmente, os últimos dias têm sido pródigos em palavras que, de todo, não me agradam e que sinto não merecer.

* às vezes fico tão estupefacta com o que me dizem, que nem sei o que hei-de responder. um dia aprenderei, estou certa.

 

Anúncios