há coisas que uma vez coladas a nós, e nem sempre temos o discernimento necessário para não deixar que isso aconteça, é o cabo dos trabalhos para que elas desapareçam. são como a expectoração dos bebés que tem de ser aspirada. e, logo, logo, quando pensamos tudo tranquilo, manifesta-se.
vai-se desvanescendo, sol caindo a pique no horizonte do oceano, mas… desaparecer?
um
dia,
talvez um dia!

Anúncios