ontem fui ao Mude. ia de mochila pequena às costas, pequena, e máquina ao ombro. naquele espaço que está quase todo em obras, estavam mais polícias por metro quadrado do que aqueles que se conseguem ver na rua, numa viagem que atravesse a cidade toda. toda!acho que vi uns seis ou sete. portanto, ía eu de máquina q mochila e o senhor agente disse muito solícito que não se podia tirar fotografias. e eu anuí com a cabeça. de seguida disse que havia uns cacifos onde podia deixar as coisas, que tinham chave e tudo. eu agradeci, mas disse que levava tudo comigo. na mochila tinha os meus telemóveis, a minha carteira com os documentos, o porta-moedas e mais umas coisas. ele não ficou contente e insistiu com a conversa do cacifo. eu comecei a ficar com urticária virtual e respondi-lhe que não, que já lhe tinha dito que não tirava fotografias, portanto não ía tirar, e a mochila era a minha mala, onde eu tinha as minhas coisas. ao que ele me diz que podia pôr a carteira e o telemóvel no bolso. e eu já muito bruta disse-lhe uma coisa que até já fiz imensas vezes, mas é quando eu quero, e que foi “oh senhor, as mulheres não andam com as carteiras e os telemóveis no bolso!” e depois apontei-lhe umas pessoas que vinham a descer e que traziam uma mochila quase o dobro da minha. e ele dizia-me que há sítios onde não deixam entrar com as malas e etc e tal. e eu respondi-lhe “eu tenho a minha mala e a máquina. o senhor deixa-me subir ou não? se não deixa é só dizer que eu vou-me embora.” e pronto, lá se acabou a conversa e fui ver aquele flop que está em obras e que só tem uma série de vestidos de fadistas! foda-se, mas o gajo achava que eu ia meter a merda dos vestidos na puta da mochila de 20×30?
e que raio de prioridades tem este país para a segurança?
e eu que ando a responder cada vez mais? será das hormonas? ai meu deus!

Anúncios