… esta minha ida ao dentista. a consulta durou 55 minutos. parecido com uma sessão de psicoterapia.
ao abre boca-fecha boca perdi-lhe a conta. não sei quantas fotografias, porque a trampa do flash estava com nojo e não disparava em condições – mas a luz era suficiente para me cegar.
morder cera. devagar. com força. tirar moldes, com a pasta a semi-escorregar pelas goelas abaixo e eu a fazer um esforço demoníaco para não me engasgar e cuspir aquela merda toda contra o vidro da janela que dá para o clube dos empresários, coitado esse que também parece que já está falido.
depois tive que colocar um andaime que ficava preso entre os ouvidos e o nariz. para depois me ser colocada uma coisa dentro da boca que era aparafusada ao dito cujo.
no recibo tenho esta linda descrição: moldag/mod estudo-análise oclusal articulador. amén!

[entremeado com isto, nos intervalos, eu a contar a minha guerra com o senhor polícia no Mude e a dar gargalhadas monumentais. portanto, em tudo semelhante às minhas sessões com a Rute.]

Anúncios